Área restrita
Esqueci minha senha

Quero solicitar acesso

Identificação e Biologia de Moscas e Mosquitos
 
No grande mundo dos insetos, as moscas ocupam o quarto lugar em número de espécies. Elas sempre foram vistas como responsáveis por problemas de saúde pública, por carregar em seus corpos vários microrganismos que podem causar doenças muito graves no homem.

As moscas são insetos da ordem DIPTERA, que também inclui os mosquitos. Com mais de 210 mil espécies descritas, os dípteros formam a quarta maior ordem de insetos, depois dos coleópteros (besouros), lepidópteros (mariposas e borboletas) e himenópteros (abelhas, formigas e vespas). Moscas e mosquitos apresentam metamorfose completa (ovo, larva, pupa e adulto) e distinguem-se dos demais insetos alados por ter apenas um par de asas (daí o nome Diptera, que significa ‘duas asas’).

São conhecidas cerca de 150 mil espécies de moscas (aproximadamente de 70% do total da ordem diptera), que vivem em praticamente todos os ambientes do mundo e cujas larvas e adultos consomem quase todo tipo de alimento, desde sangue, excrementos e carne em decomposição até madeira, frutas e néctar. O aparelho bucal das moscas é adaptado para lamber o alimento, para picar e sugar ou apenas para sugar.

Do ponto de vista médico, os dípteros são os insetos mais importantes. Entre as moscas de interesse médico-sanitário destacam-se as das famílias Muscidae (que inclui a mosca doméstica) e Calliphoridae (as moscas-varejeiras). Algumas espécies alimentam-se de sangue, como as mutucas (família Tabanidae), e sua picada pode infectar o homem com diversas doenças, mas outras, como a mosca doméstica e as varejeiras, também podem transmitir enfermidades como febre tifóide, disenteria, poliomielite e outras, embora não sejam hematófagas.

A transformação de ambientes naturais em áreas urbanas e rurais modifica de modo radical a flora e a fauna locais. A maioria das espécies nativas é extinta, mas algumas se adaptam às transformações, passando a se beneficiar do material orgânico acumulado nessas áreas. É bem conhecido que certas espécies de dípteros são capazes de se adaptar às condições ecológicas criadas pelo homem no processo de urbanização. Essa dependência é chamada de sinantropia.

Entre todas as moscas, as mais conhecidas são as moscas domésticas. O nome mosca doméstica refere-se à espécie conhecida cientificamente como Musca domestica, pertencente à família Muscidae. Tomando como domésticas as espécies que ocasionalmente entram nas residências, podem ser incluídas, nesse grupo, Stomoxys calcitrans (uma das moscas hematófagas mais freqüentes nas zonas rurais), Fannia canicularis (conhecida como ‘pequena mosca doméstica’) e Fannia scalaris (chamada de ‘mosca das latrinas’).

úmidos, a mosca de banheiro (Psycoda ssp) pode ser considerada uma praga comum em estabelecimentos comerciais e residências. Sua presença pode ser prevenida através da limpeza constante dos resíduos e eliminação da umidade presentes nos ambientes nos quais exemplares podem ser encontrados.

As epécies da mosquinha de fruta (Drosophyla ssp) são comumente utilizadas para pesquisas no mundo todo. São encontradas em matéria orgânica em decomposição (estado de fermentação). Após eliminar o foco de proliferação costumam desaparecer.

PRINCIPAl ESPÉCIE:

-Dengue – Aedes aegypti
-Febre amarela – Aedes aegypti


© MAM - Controle de Pragas - Todos os direitos reservados.
Powered by anydesign.net